satélite abandonado desde 1967 desperta e envia sons fantasmagóricos para a Terra

Isso poderia ser o começo de um filme de terror alienígena, mas é pura realidade: um satélite dado como “morto”, desde o final dos anos 60, despertou para a vida e está enviando sinais de rádio fantasmagóricos para a Terra.

Estamos falando do satélite LES1, lançado pelos EUA, em 1965. Ele foi montado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (da sigla em inglês MIT) para testar técnicas de comunicação. Este satélite foi um dos nove satélites do projeto – de uma série LES1-LES9.

O problema do LES1 é que ele nunca chegou à órbita correta. Foi usado por dois anos e depois acabou se calando para o todo o sempre como um pedaço de lixo espacial. Pelo menos era isso que se pensava…

Quarenta e seis anos depois, no ano de 2013, um astrônomo amador do Reino Unido captou um sinal estranho vindo do LES1 e avisou o pessoal do MIT, que confirmou que o satélite retornou à ativa.

Não, o satélite não foi capturado por uma civilização alienígena que está pedindo resgate em um idioma desconhecido. A explicação mais aceita para a ressurreição do satélite está nos painéis solares que de alguma maneira foram recarregados pelo Soldepois de tanto tempo. Isso possibilitou que os sinais de rádio fossem enviados.

Ao que tudo indica, a tecnologia espacial de 50 anos atrás ainda se mostra resistente e até mesmo útil no espaço, mesmo quando ninguém dava nada por ela.

assista video neste link abaixo:

 https://www.youtube.com/watch?v=Y7aLPL4Ect8

Fontes: Superinteressante, Blastr

Imagem: Andrey Armyagov/Shutterstock.com

Imagem no corpo do texto: Lincoln Laboratory (nasa.gov) [Domínio Público], via Wikimedia Commons

Anúncios

A origem violenta dos anéis de Saturno

Uma “batalha” cósmica colossal teria dado origem aos anéis de Saturno, segundo uma recente teoria.

Várias hipóteses já surgiram para explicar as origens dos intrigantes anéis do gigante gasoso, avistados pela primeira vez em 1655, pelo holandês Christian Huygens.

Recentemente, um grupo de pesquisadores da Universidade de Kobe, no Japão, anunciou uma hipótese surpreendente. Os estudiosos propõem que os anéis são fruto de uma “batalha” cósmica colossal, ocorrida há aproximadamente 4 bilhões de anos.

De acordo com essa teoria, quando vários planetas gigantes tiveram suas órbitas modificadas no período chamado intenso bombardeio tardio, muitos corpos celestes, do tamanho de Plutão, foram destruídos pela maré gravitacional. Por isso, os enigmáticos anéis seriam formados por restos de planetas mortos e também por gelo.

Utilizando um sistema complexo de simulação astronômica nos supercomputadores do Observatório Astronômico do Japão, os cientistas recriaram o suposto processo orbital dos fragmentos de planetas anões. O modelo sugere que esses pedaços rochosos atravessaram muitas colisões de alta velocidade até se transformarem no que são hoje os anéis de Saturno.

Fonte: ABC

Imagem: janez volmajer/Shutterstock.com

Quais são as maiores constelações que existem?

Img - Quais são as maiores constelações que existem?

No ano de 1930, o céu foi dividido em 88 constelações com fronteiras precisas pela União Astronômica Internacional, fazendo com que cada direção no céu pertencesse somente a uma dessas constelações. Estas receberam o nome segundo uma tradição que vem da Grécia Antiga, e seus nomes oficiais são em latim.

Constelações são agrupamentos aparentes das estrelas feitos por astrônomos da antiguidade ao observarem que parecia com objetos, animais ou pessoas, podendo ser vistas durante a noite. Confira na tabela abaixo as 88 constelações.

Constelação – Significado
Andrômeda – princesa do mito grego
Antlia – Máquina pneumática, ou bomba de ar
Apus – Ave do paraíso
Aquarius – Aquário, o Aguadeiro
Aquila – Águia
Ara – Altar, Ara
Aries – Carneiro
Auriga – Cocheiro
Boötes – Boieiro, Pastor
Caelum – Cinzel, Buril
Camelopardalis – Girafa
Câncer – Caranguejo
Canes Venatici – Cães de caça,pegureiros
Canis Major – Cão maior
Canis Minor – Cão menor
Capricornus – Capricórnio, cabra do mar
Carina – Carena do navio dos míticos argonautas
Cassiopeia – Rainha grega
Centaurus – Centauro rústico
Cepheus – Rei mítico
Cetus – Baleia ou ceto (monstro marinho)
Chamaeleon – Camaleão
Circinus – Compasso
Columba – Pomba
Coma Berenices – Cabeleira de Berenice
Corona Australis – Coroa Austral
Corona Borealis – Coroa Boreal
Corvus – Corvo
Crater – Taça
Crux – Cruzeiro do Sul
Cygnus – Cisne
Delphinus – Golfinho
Dorado – Peixe dourado
Draco – Dragão
Equuleus – Potro
Eridanus – Rio
Fornax – Fornalha
Gemini – Gêmeos
Grus – Grou
Hércules – Héracles
Horologium – Relógio
Hydra – Hidra
Hydrus – Indus
Lacerta – Lagarto
Leo – Leão
Leo Minor – Leão menor
Lepus – Lebra
Libra – Balança
Lupus – Lobo
Lynx – Lince
Lyra – Lira
Mensa – Montanha da mesa
Microscopium – Microscópio
Monoceros – Unicórnio
Musca – Mosca
Norma – Régua
Octans – Oitante
Ophiuchus – Ofiuco
Orion – Caçador mítico
Pavo – Pavão
Pegasus – Pégaso
Perseus – Perseu
Phoenix – Fênix
Pictor – Pintor
Pisces – Peixes
Piscis Austrinus – Peixe Austraus
Puppis – Popa
Pyxis – Bússola
Reticulum – Retículo
Sagitta – Flecha
Sagittarius – Sagitário
Scorpius – Escorpião
Sculptor – Escultor
Scutum – Escudo
Serpens – Serpente
Sextans – Sextante
Taurus – Touro
Telecopium – Telescópio
Triangulum – Triângulo
Triangulum Australe – Triângulo Austral
Tucana – Tucano
Ursa Major – Ursa Maior
Ursa Minor – Ursa Menor
Vela – Velame
Virgo – Virgem
Volans – Originalmente Piscis Volans
Vulpecula – Raposo

Hidra é a maior constelação da esfera celeste, estendendo-se por mais de um quarto do céu e está perto de Balança, Centauro, Taça, Corvo, Sextante e Câncer. Apesar disso, é bastante difícil vê-la no céu, já que as estrelas apresentam pouco brilho e é muito extensa. Hidra, na mitologia grega, era um monstro que possuía muitas cabeças que foi morto por Hércules em seus 12 trabalhos. No céu, entretanto, é representada por uma cobra d’água com apenas uma cabeça.

Aquário é outra das maiores constelações do Zodíaco, e está localizado entre Capricórnio e Peixes. Na mitologia grega representa um jovem ou um homem velho que derrama água de uma jarra. Órion é uma constelação fácil de enxergar, podendo ser identificada por três estrelas que, com mesmo brilho, estão próximas e alinhadas, e são popularmente conhecidas como três marias, que formam o cinturão de Órion.

O zodíaco é formado por 12 constelações que seriam o círculo dos animais, ou caminho, do sânscrito sodi. São elas Aries, Taurus, Gemini, Cancer, Leo, Virgo, Libra, Scorpius, Sagittarius, Capricornus, Aquarius e Pisces.

Sinal verde para AIDA: a missão espacial que desviará asteroides perigosos

Imagem: blackdogvfx/Shutterstock.com

A NASA e a Agência Espacial Europeia uniram forças em uma missão de grande importância para a história espacial: desviar asteroides que ameaçam a Terra.

O projeto, chamado AIDA (Avaliação de Impacto e Desvio de Asteroide), tem como objetivo medir os efeitos do impacto de um asteroide, de modo a avaliar a capacidade de desvio de sua trajetória, evitando uma possível e perigosa colisão com o o nosso planeta.

O alvo-teste escolhido para a primeira missão será um par de asteroides chamado Didymos, composto por uma rocha principal de 800 metros de diâmetro e outra de 150 metros, que orbita ao seu redor. Eles se dirigem às proximidades da Terra a toda velocidade, e a expectativa é que, em 2022, estejam a apenas 11 milhões de quilômetros do nosso planeta.

A estratégia da AIDA prevê o lançamento da sonda AIM (sigla para Missão de Impacto de Asteroide) em outubro de 2020 pela ESA. Ela chegará aos Didymos em maio de 2022. Enquanto isso, em dezembro de 2020, a NASA lançará a sonda DART (sigla para Teste de Redirecionamento de Asteroide Duplo), que alcançará os Didymos em outubro de 2022. A missão será a primeira demonstração real da técnica do impacto cinético para mudar a trajetória de um asteróide no espaço.

Desde 2011, as duas agências têm alinhado todos os detalhes, já que os Didymos se aproximam e não há tempo a perder.

Fontes: NASA