ESTRELA GLIESE 710 VAI PASSAR “TANGENTE” AO SISTEMA SOLAR

Conceito artístico da estrela Gliese 710

O nosso Universo é um espaço astronomicamente vasto, mas de vez em quando temos alguns encontros imediatos que podem ser problemáticos para as pequenas criaturas que habitam a superfície dos seus planetas.

Segundo um novo estudo, publicado no jornal Astronomy and Physics, isso é o que poderá acontecer quando a estrela Gliese 710 passar extremamente perto do nosso sistema solar… daqui por um milhão de anos.

A Gliese 710 está neste momento a cerca de 64 anos luz de distância, mas a sua trajectória faz com que esteja a viajar em nossa direcção a alta velocidade.

Segundo novos cálculos dos astrónomos, utilizando dados mais precisos do observatório espacial Gaia da ESA, a estrela poderá passar a apenas 77 dias luz do nosso sistema solar.

Esta é uma distância bastante mais pequena do que se estimava antes – e ainda assim, com uma margem de erro bastante significativa, que admite que a estrela possa mesmo passar a apenas 40 dias luz de distância.

Tanto num caso como no outro, é uma trajectória que faz com que a Gliese 710 atravesse a nuvem de Oort, que rodeia o nosso sistema solar, e onde existem milhares de milhões de detritos cósmicos, com efeitos que não serão pacíficos.

A nuvem de Oort, o Sistema Solar, e distâncias relativas de corpos e formações celestes

A estrela poderá atrair cerca de 100 milhões destes objectos, e fazer com que a órbita de muitos mais seja perturbada e os mesmos sejam enviados para o interior do sistema solar.

Tal poderá aumentar significativamente o número de cometas, meteoros e outros corpos celestes, e a probabilidade de que ocorram colisões com a Terra.

Aliás, alguns cientistas acreditam que terá sido um evento idêntico há 65 milhões de anos que terá estado na origem da colisão com o meteoro que levou à extinção dos dinossauros.

Felizmente, há quem diga que daqui por um milhão de anos o Homem nem sequer por cá estará… mas o tempo voa, e um milhão de anos não é assim tanto tempo – astronomicamente falando, claro.

“Trombeta do Apocalipse” é ouvida em cidade dos Estados Unidos

Uma “Trombeta do Apocalipse”, como é popularmente chamado este fenômeno, foi escutada este mês numa cidade do estado de Washington, nos EUA, e está deixando as pessoas com ‘a pulga atrás da orelha’. Embora existam muitas teorias e especulações sobre o que possa estar causando este estranho som, nada ainda é conclusivo.

Trombeta do Apocalipse em Spokane Valley, Washington, EUA

Este é o barulho de trombeta/uivo em Spokane Valley, WA, que escutei a noite toda. Começou por volta das 23h00 e não parou até esta manhã, por volta das 06h00.

Acima é somente uma das incontáveis mensagens deixadas nas redes sociais que apareceram na noite de 13 de dezembro até a manhã de 14 de dezembro, quando moradores de Spokane Valley, no estado de Washington (EUA) tentaram descobrir a fonte do estranho som de trombetas. Será que eles descobriram?

Trombeta do Apocalipse.

O canais de imprensa local abraçaram o caso na noite de 14 de dezembro, reportando que milhares de pessoas – uma estimativa de pelo menos 27.000 –  teriam escutado o ruído misterioso das 22h30 às 05h00… um som que muitos descreveram com uma trombeta, e isso sempre levanta receios apocalípticos.

Eles tentaram determinar a causa. O diagnóstico inicial foi de que seriam patrolas que limpam a neve, já que havia neve no solo e patrolas nas ruas.  Na verdade, uma reportagem mencionou sobre um único estacionamento de um Shopping Center que, supostamente, teria sido patrolado continuamente durante a noite.  Embora isso poderia explicar o som naquela área em particular (e foi determinado que o estacionamento NÃO havia sido patrolado), isto não explicaria o som se espalhando por toda a cidade, nem a altura que foi escutado, especialmente nas áreas onde não haviam patrolas limpando a neve.

…quando o som viaja grandes distâncias, o clima, a cobertura de nuvens e a propriedades anormais do ar firo geralmente são os suspeitos. O som, na verdade, irá viajar mais rápido no ar quente do que no frio.

Quem falou isso foi o especialista em ciência da TV local, Radical Rick. O ar frio daquela noite (que é bem normal para o estado de Washington) poderia ter diminuído a velocidade dos sons normais e os distorcidos para fazê-los soar como toque de trombetas. Isso soa como algo lógico, não radical, especialmente se a noite estivesse repleta de ruídos altos como patrolas e trens. Porém, as patrolas já foram descartadas e havia poucos trens naquela noite.

Uma teoria interessante que foi levantada é a de que o som vinha de trilhos de trem rangendo, devido a contração e expansão no frio. Isso faria sentido se acontecesse frequentemente (Spokane Valley faz frio com frequência) e o ruído não fosse tão alto.

Uma vez que os suspeitos costumeiros são descartados, os suspeitos anormais são considerados para justificar os misteriosos sons de trombetas no céu. Há o zumbido que é escutado ao redor do mundo, mas sua frequência é muito baixa para ter sido o som que ocorreu em Spokane.  Há o som feito pelas ‘luzes do norte’ (Aurora Boreal), mas esse é mais parecido com estalos e não há relatos de auroras aquela noite em Spokane.  Placas tectônicas raspando umas contra as outras? Não nessa região.  Sons vindos de baleias ou outras criaturas?  Estes não duram por horas. HAARP? Boa sorte se quiser provar que foi isto.

Para aqueles que não acreditam nos que ficam dizendo que se tratavam de “patrolas limpando a neve”, a procura por uma explicação para os sons de trombeta em Spokane Valley continua.

Veja abaixo dois vídeos sobre a “Trombeta do Apocalipse” que ocorreu em Spokane Valley. No primeiro pode-se escutar claramente o som, e o segundo é uma compilação que inclui uma reportagem da imprensa local.